Aqui é onde a terra se despe
e o tempo se deita..

(Mia Couto, A Varanda do Frangipani)

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Pra ti, que não entendes a necessidade de escrever


Colocaste um maço de flores bonitas no começo de nossa história.
Bebemos duas garrafas de vinho com taninos bem apurados para selar esse início.
A chuva se fez trilha sonora.
Temos esse começo, algo concreto agora e até um plural. 
Promete-me escrever um sem fim para nós?






Cá estou, vivendo um poema bonito!